Peças da moto: conheça o mais importante! Dias de bicicleta

Cada parte da sua moto tem uma função específica. Essa máquina fascinante tem a capacidade de se reinventar, sempre aumentando os níveis de desempenho e de força de cada peça. Quer saber mais sobre partes da moto? Continue com a gente!

Apesar de ter quebrado o galho por muitas vezes, apenas apontando para uma porção de qualquer uma da moto, ao comentar sobre ele, ainda é um método muito menos eficaz do que saber os termos corretos e mais adequados de cada parte de sua moto.

Afinal, há situações em que, para garantir o reparo adequado, saber quais partes e funções estão envolvidas é crucial para se comunicar com as motos. O mecânico está acostumado a ouvir os termos técnicos.

A boa notícia é que, apesar de ser técnico, os termos usados para designar cada parte da moto são super fáceis e até divertidos de aprender. E lá, você quer saber como nunca mais ficar sem palavras quando vai falar de bike?  Então, vamos lá!

Nossa equipe preparou uma coleção de informações para ajudar os principais nomes da magrela. De quebra, vamos ainda falar um pouco sobre a história dessa máquina maravilhosa, que ganhou o coração da humanidade ao longo dos tempos.

Para conhecer as partes da moto: entenda como elas vieram para cima!

Como quase tudo que conhecemos e usamos hoje em dia, a primeira versão da moto era um telefone com um treinamento curioso e muito rudimentar. No entanto, seu desenvolvimento favorecia a otimização desse aparato para que ele se popularizasse em grande medida entre as pessoas.

A bicicleta fornece uma forma de lazer, além de ser adaptada para vários usos e ramos: uso militar, adaptação infantil, uso policial e serviços de entrega. Para se ter uma ideia da evolução, basta lembrar que o primeiro modelo de bike trabalhou com a tração humana!

Hoje em dia, temos modelos de bike super variados, não só isso, também uma variedade impressionante de equipamentos e ferramentas orientados apenas para a prática do ciclismo. Ramos inteiros foram criados com base nesse meio de transporte e também de artigos esportivos.

Portanto, podemos dizer que mais do que a história de uma máquina, trata-se da história das pessoas!

Anatomia da moto

modelos são feitos pensando no papel que eles vão desempenhar. Este é o critério determinante para o seu design.

No entanto, alguns pontos são sempre levados em conta, independentemente do modelo a ser fabricado, a saber, velocidade, segurança, conforto e durabilidade. A seguir, falamos sobre as partes de sua moto. 

1. Marco

A moldura é a maior parte da sua moto, é nela que as rodas estão sentadas, como é o selim (o banco). É muito comum as pessoas acabarem referenciando este componente apenas como “pipe” ou “pipes”.

Na verdade, o quadro pode ser dividido em vários canos diferentes. Se você não está conseguindo refrescar a memória, dê uma olhada nesta seção de frames para entender melhor do que estamos falando.

O quadro fornece, por exemplo, o snap para o guidão para girar com facilidade e proteção. Existem diferentes espécies de quadros, algumas são mais grossas e levam um número menor de tubulações, como dissemos, tudo depende da função que você planeja tocar.

Alguns dos materiais mais comuns na construção dos quadros são:

    : O mais tradicional, este material oferece excelente qualidade, durabilidade e facilidade no reparo. Os pontos fracos estão em peso e oxidação. O quadro de aço tende a ser mais pesado na locomoção, além disso, é possível que a oxidação ocorra e termine com a pintura de sua moto!

Naturalmente, há aços e aços, quer dizer, as propriedades do seu quadro podem mudar de acordo com a qualidade do aço utilizado. Assim, é possível ter componentes feitos deste mesmo material, mas com qualidades diferentes.

O cromo de molibdênio, presente no conhecido aço American SAE 4130 é uma ótima matéria-prima para a construção de quadros de alta qualidade, com ligas metálicas mais confiáveis. 

Este aço é uma ótima opção para ser usada no garfo, ou seja, no suporte da suspensão, por causa de sua capacidade de absorver bem os impactos e as forças exercidas pelo solo na suspensão. Em breve, um parceiro considerável para MTBs

  • : Este material é bastante popular devido ao grande equilíbrio oferecido entre leveza e resistência a impactos físicos. Alumínio não oxidado e ajuda a fornecer o peso ideal para motos de corrida.

Sua leveza acaba favorecendo o desenvolvimento de altas velocidades sem a necessidade de um esforço sobre o humano!

  • fibra: comumente visto como o melhor material para o quadro, a fibra de carbono é o sonho de muitos ciclistas! Ele pode ser configurado em bastante qualquer forma, o que o torna bastante versátil.

Depois de pronto, o quadro de carbono é bastante leve e resistente.  A fibra é feita a partir de poliacrilonitrila, que recebe um tratamento térmico intenso para chegar ao produto final. Na prática, quando melhor tratamento, melhor a qualidade da fibra será.

Para quem quiser curtir as vantagens da fibra de carbono, vale a pena lembrar que tais quadros tendem a apresentar um preço saltier.

2. Fork

O garfo também é conhecido como suspensão diantada, ele é responsável por suportar o instantâneo da roda diantada. Consiste em duas lâminas, unidas ao topo. As forcas não buíadas são chamadas rígidas.

A posição do yoke pode ser alterada de acordo com o movimento do guidão, esta mudança comanda o movimento da roda diantada e, portanto, a direção que a moto leva.

A suspensão dos fornos é muito importante para garantir que os choques mecânicos do solo sejam dissipados sem causar nenhum dano grave.

3. Manoplas e Guiding

handlebars é responsável por determinar a direção em que você pedala. Ele foi desenvolvido para fornecer controle e segurança, uma vez que, quando usado, é possível ter mais certeza do caminho e planejar cada ação durante o pedal.

Tanto o ciclista quanto o ao redor saem ganhando com a segurança resultante. 

/strong> são usadas no guidão, para proteger seus membros e para garantir uma pegada mais confortável para o ciclista. A diferença pode ser sentida no final do dia, quando a palma de suas mãos não é ferida graças à proteção dos manolas.

3. Freios

são divididos em alguns tipos:

  • HidrApulics: Eles são freios mais potentes, mas tendem a ser mais pesados do que os demais. A energia de frenagem é alta, mas o cuidado e a atenção na manutenção é redobrada.

  • Cantilevers: Este sistema obsoleto funciona com o acionamento de dois cabos de aço que, por sua vez, colocam os grinders responsáveis pela frenagem em ação
  • Freio V-brake: relacionado ao sistema cantilever, ele também funciona pela ação de um cabo de aço que irá acionar os pinos, apenas mais diretamente, o que o torna mais eficiente.
    disco: considerado por muitos como o mais eficiente sistema, ele consiste em freios configurados na suspensão e no quadro da própria moto. Os freios (calibres) pressionam os pinos diretamente contra o disco, proporcionando uma alta potência de frenagem.

4. Cassete e Atual

O cassete é a junção de várias peças de dente, chamadas catracas. A corrente passará, entre outros lugares, na hora de gerar o movimento de cada pedal.

A corrente é uma série de links metálicos, atuador no processo de transferência de movimento entre a coroa e o cassete.

Para finalizar, vale a pena lembrar também três outros componentes

    • Aro: é o suporte em que as rodas e a câmara de ar são fixas
    • : ele se conecta com o yoke e proporciona fixação para todos os raios
    • Raio: são as “barragens” de aço saindo do hub em o hoop

    Estas são as partes mais comuns da bike. Não deixe de conferir nosso site para encontrar peças essenciais no seu dia a dia. Que tal deixar um comentário, dizendo se o nosso post ajudou você? Nós amamos ouvir você!

    Fonte: blog.diasbike.com.br/manutencao-bicicleta/conheca-as-partes-da-bicicleta

  • Cart
    Your cart is currently empty.