Veja os avanços da tecnologia para a prevenção e tratamento do câncer de mama

Veja os avanços da tecnologia para a prevenção e tratamento do câncer de mama

7 minutos para ler

Medicalway
Medicalway
Powered by Rock Convert

Veja os avanços da tecnologia para a prevenção e tratamento do câncer de mama. Na década de 1990, o Outubro Rosa — mês de conscientização sobre o câncer de mama — ganhou força nos Estados Unidos e, hoje, é destaque no mundo todo, inclusive no Brasil.

O principal mote da campanha é alertar as mulheres para a importância do cuidado com a saúde das mamas, orientando quanto às alterações habituais das diferentes fases do ciclo de vida e quanto aos sinais e sintomas da doença.

Nesse sentido, a alta tecnologia veio engrossar o time nessa batalha contra o câncer, fornecendo ferramentas que vão desde aparelhos radiológicos mais precisos à terapia gênica. Isso sem falar na robótica aplica à medicina.

Para ressaltar a importância dessa campanha, entenda os progressos da tecnologia para a prevenção e tratamento do câncer de mama, reunimos neste post os principais avanços da tecnologia. Confira!

O que é Outubro Rosa e qual sua importância?

Trata-se de uma campanha realizada no mundo todo em prol da conscientização da população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Dessa maneira, o mês de outubro é inteiramente dedicado à causa, com a promoção de ações por diversas entidades.

Na década de 1990, iniciaram-se ações isoladas em diversos estados americanos, o que levou o Congresso a aprovar outubro como mês nacional de prevenção contra o câncer de mama.

O símbolo da campanha, o laço cor-de-rosa, foi, inicialmente, usado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, que os distribuiu durante a primeira “Corrida pela Cura”, em Nova Iorque, na década de 1990. A partir daí, passou a ser entregue em desfiles de moda, locais públicos e outros eventos.

Com o passar dos anos, o movimento ganhou alcance mundial e, no Brasil, em 2002, diversos monumentos ganharam iluminação em rosa para alertar a população sobre a campanha.

Como a tecnologia pode ajudar no combate ao câncer de mama?

Veja e entenda os avanços da tecnologia para a prevenção e tratamento do câncer de mama. O tratamento do câncer de mama se baseia principalmente na extensão da doença (estadiamento), nas características biológicas do tumor e nas condições clínicas do paciente. Sendo assim, o diagnóstico precoce tem um grande impacto sobre as chances de sucesso da abordagem terapêutica e de cura.

Hoje, classificamos os tratamentos conforme dois tipos de abordagem:

  • local: cirurgia (retirada do tumor ou mastectomia) e radioterapia;
  • sistêmica: quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica.

Nos últimos anos, houve uma evolução tanto no sentido de cirurgias menos agressivas quanto de terapias mais individualizadas. Nesse sentido, os avanços tecnológicos aplicados à prática médica têm muito a contribuir com a luta contra o câncer de mama. De acordo com relatório da American Cancer Society, a mortalidade por câncer caiu 27% em 25 anos, nos EUA.

Cirurgia robótica

Graças a esse tipo de cirurgia, os procedimentos vêm se tornando a cada dia menos invasivos, abandonando cirurgias mutiladoras. Assim, a dor e a perda sanguínea são menores, são necessários menos analgésicos e também menos dias de internação, tornando a recuperação mais tranquila.

Infelizmente, o custo dessa tecnologia ainda inviabiliza seu uso em grande escala, porém, espera-se que, na velocidade que os avanços ocorrem, o procedimento se torne mais acessível em alguns anos.

Medicina personalizada

Dentre os avanços mais importantes estão a possibilidade de personalizar o tratamento. Se, antes, as opções se restringiam à cirurgia, quimioterapia e radioterapia, hoje se fala em mutações específicas capazes de direcionar a individualização da terapia por meio de inibidores da tirosina quinases, além de bloqueio hormonal, iodoterapia, imunoterapia, entre outros.

Além disso, a abordagem multidisciplinar — nutrição, psicologia, fisioterapia e fonoaudiologia — praticada em centros de atendimento tem garantido bons resultados no que dia respeito à sobrevida, qualidade de vida e experiência do paciente. Diagnóstico precoce, estudo molecular e suporte ao paciente, associados às novas tecnologias, garantem um tratamento muito mais individualizado e eficaz.

Quimioterapia menos agressiva

Avanços científicos vêm impactando também a quimioterapia. Os inibidores, por exemplo, tais como o CDK4/6, permitem adiar o início da quimioterapia no tratamento. Além deles, o uso da assinatura genética — propriedades moleculares específicas — permite a escolha dos melhores quimioterápicos de acordo com tipo de tumor.

Essa especificidade diminui o número de aplicações, e a chamada “terapia alvo” age apenas nas células doentes, sem comprometer outros órgãos e células saudáveis. Assim, com medicações menos agressivas, o tratamento se torna menos penoso, reduzindo efeitos colaterais, como a queda de cabelo, diarreia e náuseas. Inclusive, em alguns casos, os remédios já podem até ser tomados em casa.

Evolução radiológica

A evolução tecnológica também tem beneficiado muito a área de radiologia, com aparelhos mais modernos e sofisticados. Imagens de melhor qualidade e o surgimento do Pet Scan possibilitam o diagnóstico por imagem molecular dos tumores, antecipando o risco de metástases e recidivas, o que orienta o médico no direcionamento do tratamento.

No campo da radioterapia, como comentamos, equipamentos mais precisos vêm viabilizando uma aplicação mais localizada, tratando apenas a área cancerosa, conservando a integridade dos órgãos adjacentes. Por ser localizada, podem ser usadas doses maiores de radiação e mais eficazes contra o tumor.

Por que é preciso a conscientização do diagnóstico precoce?

Segundo dados do INCA, o câncer de mama é o segundo mais comum entre mulheres no Brasil e no mundo. A cada ano, o número de pessoas afetadas por esse tipo de câncer corresponde a 29% dos novos casos da doença no Brasil.

Os números alarmantes alertam para a importância da conscientização, principalmente no que diz respeito ao diagnóstico precoce. A doença tem tratamento, porém, como já mencionado, o prognóstico é diretamente associado ao estadiamento do tumor. Por isso, quanto antes for detectado, maiores são as chances de cura, chegando até 90%.

O diagnóstico do câncer de mama está apoiado em três pilares: exame clínico, exame por imagem e análise histopatológica. Assim, a detecção precoce se dá pela abordagem de pessoas que apresentem sinais e sintomas e o rastreamento.

Portanto, o primeiro passo é a educação de mulheres e profissionais de saúde no sentido de identificar esses sinais e sintomas, especialmente por meio da palpação das mamas. No entanto, é a mamografia o exame mais eficaz na detecção precoce no tumor.

Assim, o Ministério da Saúde mantém um programa de rastreamento, com a realização de exames de diagnóstico preventivo, mesmo sem que haja qualquer sintoma da doença, em mulheres com mais de 50 anos.

Felizmente, as últimas décadas têm sido de grandes avanços na luta contra o câncer, tanto em função das novidades tecnológicas quanto do aumento do nível de informação e conscientização da população, graças a iniciativas como o Outubro Rosa. O modelo, inclusive, tem servido de inspiração para outras campanhas, como o abril azul e o junho vermelho.

Se você curtiu este texto e se interessa por novidades da área de saúde e medicina, siga nossos perfis nas redes sociais. Estamos no Facebook, LinkedIn e Instagram.

Medicalway   Entre em contato!
Medicalway Entre em contato!
Powered by Rock Convert

Fonte: blog.medicalway.com.br/julho-19-outubro-rosa-veja-os-avancos-da-tecnologia-para-a-prevencao-e-tratamento-do-cancer-de-mama

Cart
Your cart is currently empty.